Saiba Como prevenir as queimaduras durante as festas juninas

Junho chegou e com ele as tradicionais festas juninas e julinas.

Na bagagem junho e julho trazem consigo deliciosas comidas, roupas e as típicas brincadeiras desta tão comum e aguardada festa. Trazem também um aumento considerável no consumo de fogos de artifício e outros artefatos pirotécnicos.

Infelizmente isso acarreta também no considerável aumento das pessoas lesionadas, pelo mau uso dos fogos de artifício.

Muito comuns nesta época do ano os estalinhos, um dos preferidos das crianças, apresentam características aparentemente inofensivas, porém podem ser tão perigosos quanto os fogos de artifício, e encontram-se dentre os maiores causadores de acidentes durantes estas festividades tão populares.

A prevenção é a única forma de se evitar queimaduras, que são ferimentos muito dolorosos. Acidentes com fogos de artifícios podem causar queimaduras de pequenas ou grandes proporções, que podem fazer com que a vítima tenha que enfrentar longos períodos de internação, uma vez que conforme a extensão, área do corpo ou a profundidade da queimadura, a mesma precise de maiores e rigorosos cuidados. Inclusive, este tipo de acidente pode levar a vítima a óbito.

Diante da gravidade e seriedade desta questão, nunca permitir que as crianças façam uso de fogos de artifício, mesmo que sejam os famosos estalinhos que aparentemente são inofensivos. Há relatos de casos de crianças que sofreram queimaduras após terem descascado diversos estalinhos para fazerem um maior.

Caso os pais ou responsáveis venham a fazer uso de fogos de artifício, mesmo dos mais simples, o façam sempre com a máxima segurança, obedecendo as orientações da embalagem do produto mantendo as crianças, idosos e pessoas com restrição de mobilidade a uma distância segura.

Quando ocorrem acidentes com estes artefatos explosivos, que é o caso dos fogos de artifícios, bombinhas, traque, rojões, morteiros ou os que são meramente para efeitos visuais, deve-se manter a calma e afastar a vítima e outras pessoas caso ainda haja possibilidade de exposição ao artefato causador do acidente. Os acidentes mais comuns são queimaduras e mutilações, riscos para audição e cegueira. Com relação as casas e matas que possam ser atingidas por fogos de artifício são mais muito comuns os princípios de incêndios. Em caso de emergência, manter a calma e acionar imediatamente os bombeiros.

Saiba os tipos de queimaduras

Queimadura de 1º grau

Queimadura superficial que envolvem apenas a parte superior da pele, a epiderme.

O principal sintoma é dor intensa e vermelhidão no local afetado, com palidez na pele quando tocada e não produz bolhas. Melhora após 3 a 6 dias e podem descamar sem deixar sequelas.

Queimadura de 2º grau

É dividida em 2º grau superficial e 2º grau profundo.

Queimadura de 2º grau superficial

Queimadura de 2º grau superficial é uma queimadura que atinge apenas a epiderme que é a porção mais superficial da pele.

Além dos sintomas já apontados em caso de queimaduras de primeiro grau, deve-se incluir o surgimento de bolhas e também uma aparência úmida na área afetada.

A recuperação pode demorar até 3 semanas. Normalmente não deixa cicatriz, porém o local lesionado pode após a recuperação, um tom mais claro.

Queimaduras de 2º grau profunda

Queimaduras de 2º grau profunda é a queimaduras que afeta toda a derme, sendo muito parecida com queimadura de 3º grau, que veremos logo a seguir.

Neste tipo de queimadura há risco de danos às terminações nervosas da pele. Pode haver também dano aos folículos capilares e das glândulas sudoríparas, que deixam a pele seca e perca seus pelos. A recuperação e cicatrização demora mais de 3 semanas e deixa cicatrizes.

Queimaduras de 3º grau

São Queimaduras que atingem as partes profundas da derme atingindo tecidos subcutâneos, causando destruição total de nervos, folículos pilosos, glândulas sudoríparas e capilares sanguíneos, atingir músculos e estruturas ósseas. Ficam com aspecto esbranquiçadas/acinzentadas, secas, indolores. Também provocam deformações que não se recuperam sem suporte médico especializado (cirúrgico) e enxertos.

Saiba o que fazer em caso de queimaduras

Antes de levar a vítima para atendimento especializado, é importantíssimo parar o processo de queimadura. Para isso, deve-se:

  • Imediatamente após a queimadura, manter a calma e também acalmar a vítima e colocar a região afetada sob água fria (não gelada) preferencialmente água corrente da torneira por exemplo, tomando o cuidado para que a água caia sem pressão para não causar dor.
  • Nunca fazer uso de “receitas caseiras” como passar pomadas, manteiga, pó de café ou creme dental, que somente aumentam as chances de infecção. Além do mais, isso certamente irá dificultar a avaliação e tratamento correto das lesões, podendo também aumentar o sofrimento da vítima quando for preciso realizar a remoção destas substâncias.
  • Caso haja vestimentas aderidas na região afetada não tentar remover. Apenas cobrir a queimadura com uma faixa esterilizada ou pano limpo, para diminuir a dor.
  • Se possível, remover imediatamente acessórios como anéis, relógios e pulseiras, porque logo após a queimadura ou ferimento, poderá haver inchaço.
  • Dependendo do grau, da região do corpo e da extensão da queimadura, observar a respiração da vítima enquanto providencia ajuda médica. Caso observe algo anormal, procurar orientação imediatamente.

Somente após estes procedimentos de primeiros socorros buscar orientação médica.

Saiba o que fazer em caso de ferimentos graves e mutilações causadas por rojões

Dados da Associação Brasileira de Cirurgia da Mão (ABCM), mostram que uma em cada dez pessoas que mexem com fogos de artifício, tem principalmente dedos amputados, podendo atingir outras partes do corpo, como rosto e olhos.

Nos casos Lesões mais graves causadas por explosão próxima ao rosto ou que tenha provocado “esmagamento” da mão, ferimento dos olhos e rompimento de tímpanos a orientação é procurar imediatamente socorro médico.

A primeira ação a tomar é manter a vítima calma, proteger a lesão com um pano muito limpo ou faixa esterilizada, para diminuir a dor e seguir para atendimento médico especializado.

Outras recomendações

  • Não permitir, que crianças soltem fogos ou acendam fogueiras mesmo que com supervisão de um adulto.
  • Se houver uma fogueira na festa junina, manter uma distância mínima de cinco metros do fogo.
  • Procurar o serviço de saúde em casos de queimaduras em que o ferimento é pequeno, porém profundo, precisa de um diagnóstico adequado e de um pré-atendimento especializado.
  • As queimaduras aumentam cerca de 200% nessa época do ano e as crianças e adolescentes estão entre os mais atingidos. Manter total vigilância e jamais esquecer que a PREVENÇÃO será sempre o melhor remédio.
  • Jamais deve-se guardar fogos de artifícios ou similares nos bolsos, por exemplo calças o que pode causar sérios danos tanto para crianças quanto para adultos.
  • Não use isqueiros para acender fogos de artifício. O ideal é usar palitos de fósforo longos e de boa qualidade.
  • Não reutilize um fogo de artifício que tenha falhado
  • Somente acenda e solte fogos de artifício em um local aberto, longe de pessoas e de materiais inflamáveis e longe de fios elétricos.
  • Não soltar foguetes próximo à janelas, portas e residências onde hajam bebês, idosos e animais domésticos. Eles sofrem muito com os estampidos.
  • Muito recomendável que a pessoa que vai manusear os fogos usa protetor auricular. 
  • Quem for assistir à queima dos fogos deve manter uma distância aproximada de 20 a 40 metros.

Saiba Como fazer Uma Compra segura

  • Ao comprar, verifique se as embalagens estão em boas condições e lacradas, se não apresentam amassados e umidade. Isto demonstrará como os fogos foram mantidos no estoque.
  • Verifique as condições do estabelecimento quanto à higiene e organização.
  • Importantíssimo também comprar os fogos em estabelecimentos regulamentados e inspecionados.
  • Busque informações e orientações quanto ao uso correto dos fogos de acordo com a classe de cada um deles.

Em caso de acidentes com fogos de artifício procure assistência ligando para o 193 (Corpo de Bombeiros) e o 192 (SAMU-Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).